Cirurgia de redução do estômago ajuda a controlar a diabetes

Cirurgia de redução do estômago ajuda a controlar a diabetes
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

Diabetes tipo 2 é uma condição crônica que afeta a maneira como seu corpo metaboliza o açúcar (glicose). Essa é uma fonte fundamental de combustível para o corpo humano. Com diabetes o organismo cria defesas contra a ação da insulina. Esse hormônio age nas células para equilibrar a circulação do açúcar. Mais comum em adultos, o diabetes tipo 2 afeta cada vez mais crianças com obesidade infantil.

Não há cura para o diabetes tipo 2, mas você pode ser capaz de tratar essa doença se alimentando de maneira correta e fazendo uso dos medicamentos indicados pelo médico. Fazer exercícios físicos também é importante para manter um peso saudável. A combinação entre dieta e exercício não são suficientes para produzir bem o açúcar no sangue, por isso é essencial fazer uso de medicamentos para o diabetes ou terapia com insulina.

Cirurgia bariátrica contra o diabetes

Quem sofre de diabetes e excesso de peso tem na cirurgia bariátrica uma maneira de amenizar os efeitos dessa doença. Popularmente conhecida como cirurgia de redução do estômago, tem respaldo científico para o tratamento da obesidade e das doenças agravadas por ela, como o diabetes. Há mais de 40 anos, essa intervenção cirúrgica é realizada no Brasil, sendo considerada eficaz e segura no tratamento contra o diabetes.

Quando outros tratamentos para amenizar os efeitos do diabetes não surtem resultado, esse método de redução do estômago é usado. Pessoas com diabetes e IMC na média de 30 kg/m², o que é considerado uma obesidade leve, apresentam a doença de maneira mais grave, em função do sobrepeso. Em alguns casos, apresentam cegueira e problemas cardíacos, além de outras complicações decorrentes do diabetes.

Estudo comparativo entre pacientes diabéticos

Pesquisas sugerem a cirurgia bariátrica como uma opção para indivíduos diabéticos e obesos que não conseguem controlar a doença usando apenas medicamentos. O estudo publicado na revista médica inglesa The Lancet aponta que especialistas do King’s College London e da Universidade Católica de Roma, desenvolveram um estudo que compara pacientes portadores de diabetes do tipo 2.

Foram analisadas duas equipes diferentes: a primeira havia pessoas que realizaram a cirurgia de redução de estômago e o segundo com pacientes que não se submeteram a cirurgia e controlavam o diabetes com métodos tradicionais. O resultado surpreendeu muitos médicos, pois mostrou que 50% das pessoas pesquisadas que realizaram a cirurgia foram contempladas com o retardo do diabetes, em cerca de cinco anos.

Assim os índices glicêmicos se mantiveram normais no sangue. No entanto, 80% dos pacientes que passaram por esse teste não apresentaram alteração nas taxas de glicose utilizando apenas um ou nenhum medicamento. Outro fator fundamental que foi identificado na pesquisa é que pacientes obesos que passaram pela cirurgia bariátrica apresentaram chances menores de sofrerem com problemas cardíacos.

Dados sobre o diabetes no mundo

No Brasil, cerca de 11% da população está diabética. Essa doença afeta homens e mulheres, na faixa etária dos 30 anos de idade. A obesidade é o principal fator de risco para o desenvolvimento dessa doença. Dados indicam que cerca de 50% da população mundial obesa ou com peso normal tem tendência a desenvolver o diabetes.

Cirurgia de redução do estomago ajuda a controlar a diabetes
Foto:Divulgação/Pixabay

Mais de 251 milhões de pessoas sofrem de diabetes em todo o mundo, sendo que 90% desses casos apresentam o tipo 2 da doença. Em outubro ocorrerá na cidade de Belém do Pará um Congresso da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), para discutir a possível aprovação da cirurgia no tratamento do diabetes tipo 2

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *